Buscar

5 dicas para tornares a tua candidatura infalível

Se não consegues ganhar, junta-te a eles

Olá, eu sou o Frederico, atualmente Acceleration Program Assistant na Fábrica de Startups, mas antes de fazer parte desta equipa, eu próprio andei (e ando), entre candidaturas e validações, a tentar criar o meu próprio projeto, iniciando o meu percurso com a participação no Tourism Explorers, em 2019. E se não ganhei o prémio final dessa edição, passei, ainda assim, por experiências fantásticas que quero que vocês também tenham.



Hoje, leio centenas de candidaturas em cada programa que organizamos e, sabendo dos erros mais comuns, quero dar-vos uma ajuda, para que não percam a oportunidade de trabalhar connosco.

1) “Chapéus há muitos!” - E ideias também

First things first: a vossa oferta. Não façam descrições demasiado genéricas do vosso produto ou serviço. Afinal de contas, provavelmente, já existe alguém a fazer algo muito semelhante ao que vocês fazem.

Descreverem apenas um marketplace de viagens, uma aplicação para tours interativos ou um serviço de experiências personalizadas não é o suficiente. Por exemplo, o Facebook é apenas uma plataforma online, onde os utilizadores podem criar um perfil com as suas fotografias e informações, mas dito assim nem parece que tem 2.8 mil milhões de utilizadores ativos todos os meses.

Apresentem o vosso factor wow, o vosso elemento inovador e diferenciador – a vossa televisão também faz tostas? Uau, contem-me mais.

Sejam objetivos, não abusem dos adjetivos e advérbios e não prometam mudar (todo) o mundo. Sabemos que adoram a vossa ideia (e ainda bem!), mas, antes de chegarmos à lua, temos de começar por ter os pés bem assentes na terra.

Não se esqueçam, ainda, de usar números, sempre que possível.

Quantifiquem informações relevantes, como a redução de custos em 30%, de que o vosso cliente beneficiou à custa do vosso serviço, os 30 mil seguidores das vossas redes sociais, as 500 vendas que fizeram no último mês ou aquele estudo oficial, que diz que uma em cada quatro pessoas que vive no litoral, tem o problema que vocês podem resolver.

2) Uma imagem vale mais do que mil palavras

A verdade é que não há melhor forma de explicarem o vosso produto e de garantir que ele fica na nossa memória, do que com imagens.

O mínimo, mesmo, é terem um website bem estruturado e fácil de navegar, o que, hoje em dia, é possível fazer facilmente, através dos templates presentes em diversas plataformas, que tornam o processo acessível a qualquer um.

No vosso website podem incluir as imagens do produto ou protótipo ou até mesmo um pequeno vídeo demonstrativo da sua utilização.

Muito importante é também estarem presentes nas redes sociais, que irão variar com o vosso público-alvo, mas diria que Facebook e Instagram são comuns à maioria dos negócios.

Mas, não basta ter uma conta. Pelo contrário. Se a vossa última publicação datar de dezembro de 2019, acabaremos por assumir que, desde então, não tiveram interesse em falar com o vosso cliente.

Todos os dias milhões de marcas competem por segundos da nossa atenção e se vocês não estão online, nem sequer estão na corrida.

3) Keep it simple, Scientist!

Sim... Keep it simple, Scientist não é o significado original de KISS e se há até quem diga que idiota é aquele que tem ideias, o objetivo aqui não é, garantidamente, ofender os profissionais das ciências ou das engenharias. No entanto, quando apresentam o vosso incrível produto, fruto de muita investigação e inovações tecnológicas, é importante adaptar a mensagem ao recetor.

Menos jargão técnico, mais terminologia corrente e, acima tudo, capacidade de responder, em poucas palavras, qual é a dor do vosso cliente, que vossa solução resolve e como o faz. Depois de entendermos isso, sintam-se à vontade para explicar porque é que isso só é possível com o vosso elixir.

A não ser que estejam a fazer um pitch para colegas de profissão, a utilização de termos demasiado técnicos só vai fazer com que o leitor se perca e não compreenda o vosso verdadeiro potencial.

Lembrem-se, os idiotas somos todos nós, que não estamos no laboratório.

4) Sejam especiais e façam-nos sentir especiais

Quando comecei neste mundo, tinha todas as expectativas e mais algumas para a participação num programa de aceleração: aprendizagem, networking, incentivo financeiro e divulgação. Tinha uma ideia para o turismo e conhecia a excelente reputação da Fábrica de Startups - o Tourism Explorers era o programa perfeito para a minha equipa e fiz questão de o referir na nossa candidatura.

Não ignorem a questão das motivações. Mostrem que são apaixonados pelo que fazem, que compreendem em que fase está o vosso negócio, que sabem ao que vão com a vossa participação e que a vão aproveitar melhor do que qualquer outra candidatura.

5) Clientes

Por fim, e porque todos os detalhes contam, não caiam no erro de dizer que o vosso produto é para toda a gente, porque nem toda a gente vai sofrer da dor que vocês resolvem. Definam se o vosso serviço é B2B ou B2C, se são pequenos hostels ou grandes grupos hoteleiros, se são jovens inativos ou adultos entre os 30 e os 40, muito ativos e apaixonados por natureza.

Quanto mais detalhe as vossas informações tiverem, mais fácil será para nós entendermos o vosso projeto e mais credibilidade vão ter enquanto equipa.

Espero ter sido útil e, muito em breve, poder colocar os olhos nas vossas fantásticas candidaturas. Estaremos aqui para o passo seguinte.