top of page
Buscar

Zoomguide: a app que te permite conhecer museus, sem teres de instalar uma… App

O Afonso Cunha esteve à conversa connosco para nos falar sobre os sucessos da sua startup, Zoomguide, a grande vencedora da edição de 2020 do Tourism Explorers.


© Ana Oliveira, Fábrica de Startups


Se és como eu e cada vez que ouves a palavra “aplicação” pensas “oh não, mais uma aplicação para instalar no telemóvel”, fica a saber que com a Zoomguidestartup criada por Afonso Cunha e Pedro Carvalhonão tens de te preocupar com isso. Trata-se de uma aplicação web que permite complementar e valorizar a experiência de quem visita um museu. Para isso, basta apenas clicar em zoomguide.app e já está. Da desilusão nasceu a ideia: Foi durante umas férias, em Berlim, que Afonso percebeu o quão difícil era chegar à cultura e às histórias que a cidade tinha para oferecer. Mas, Afonso conta que o verdadeiro clique se deu quando foi visitar um dos museus e lhe deram um áudio-guia: “fiquei um bocadinho desapontado com a forma como aquilo me foi entregue, porque era um áudio-guia muito velhote, que ainda vinha com umas capas higiénicas a tapar os auscultadores”. Afonso diz que foi a partir desse momento que tentou perceber como é que podia fazer uma coisa melhor. Um problema comum: A seguir, falou com alguns amigos e familiares e chegou à conclusão de que não era o único que estava a sentir essa dificuldade. O passo seguinte foi perceber qual é que seria o conceito, que, segundo Afonso, não levou muito tempo a ser encontrado: “a ideia de tirar a fotografia e receber os conteúdos todos surgiu logo ao início”. Por outro lado, Afonso explica que a forma como tudo isto se executa na prática, “já demorou mais tempo a pensar”. O background em tecnologia: De qualquer forma, como, “na altura, estava a investigar a parte de matches relacionados com a inteligência artificial, muito focados na parte de computer vision”, Afonso diz que se calhar isso, influenciou um pouco a solução que têm hoje, ou seja, “tirar a fotografia, ser analisada através de inteligência artificial e depois receber os conteúdos, sem QR codes, sem nada”. Uma abordagem informal, com bons resultados: Afonso conta que o próximo passo foi “abordar alguns museus, já numa perspetiva de fazer um projeto piloto e perceber aquilo que eles tinham para dizer”, acrescentando que o feedback foi bastante positivo, havendo mesmo quem os convidasse a avançar com o projeto piloto. A ajuda do Tourism Eplorers neste processo: “Depois entrei numa fase mais estruturada do processo, no sentido de perceber a necessidade do produto, e, para isso, contei com a ajuda do Tourism Explorers”, explica Afonso. As razões que levaram a Zoomguide a participar no programa: Segundo Afonso, houve três motivos que os levaram a participar no Tourism Explorers: em primeiro lugar foi o facto de quererem estar envolvidos nos programas que existem e que podem apoiar startups e o Tourism Explorers era um deles; depois a questão de terem acesso a sessões de mentoria e, por último o prémio final. “A nível nacional acho que é, provavelmente, dos melhores prémios”, explica Afonso. A melhor startup de Turismo de 2020: Apesar de não estarem à espera, a Zoomguide foi a grande vencedora da quarta edição do Tourism Explorers: “nós não fazíamos ideia de que íamos ganhar a etapa nacional, nem fomos com o objetivo único de ganhar essa etapa, mas foi ótimo”, explica Afonso. Uma aplicação web: A simplicidade é uma das coisas fundamentais no conceito do produto”, diz Afonso. Apesar de o utilizador ter uma experiência muito similar a uma experiência mobile, foi tudo construído com tecnologia web: basta aceder a zoomguide.app, tirar a fotografia e em dois ou três segundos recebe-se os conteúdos, tudo isto sem ser preciso instalar-se uma aplicação. Afonso explica que isto foi algo que descobriram com algumas conversas que tiveram com turistas, amigos e familiares, “porque as pessoas não querem instalar uma aplicação para usar uma hora”. Do indoor para o outdoor: Depois do Museu Nacional de Arqueologia, no Mosteiro dos Jerónimos, a Zoomguide prepara-se agora para ser lançada também no Museu Medeiros e Almeida, em Lisboa. Afonso diz que para além deste lançamento, têm também um projeto a decorrer com a Câmara Municipal de Aveiro, o Aveiro Urban Challenges: “vamos integrar a plataforma nos espaços culturais da cidade e vamos também desenvolver uma outra componente da plataforma, que é a parte outdoor”. Afonso explica que o seu foco continua a ser espaços indoor, mas que quer explorar também o outdoor. O objetivo é ganhar “o utilizador no indoor e depois levá-lo a descobrir o outdoor”, acrescenta. Os prós e contras da pandemia: Afonso diz que, por um lado, o lançamento da Zoomguide no Museu Nacional de Arqueologia demorou mais uns meses do que aquilo que era esperado, mas, por outro, permitiu-lhes continuar a desenvolver o produto: “aquilo que nós lançámos em maio é melhor do que aquilo que teríamos lançado em dezembro”. Objetivos para o futuro: Afonso explica que gostava que o seu projeto chegasse a uma escala global, mas, neste momento, o objetivo é Portugal: “nós estamos numa fase de melhoria continua do produto e de perceber melhor os nossos clientes e gostava de, no final deste ano ou no início do próximo, começar a desenvolver alguns projetos em Espanha e, assim, ter a validação de processos a nível internacional”. Para Afonso é importante começar a desenvolver esta parte, para que possa ser depois “reproduzível em qualquer país do mundo”. Entrevista feita por: Rita Frade, Coordenadora de Marketing e Comunicação da Fábrica de Startups

Comments


bottom of page